quinta-feira, 29 de junho de 2017

Ursula K. Le Guin e Terramar



Olá, olá, Grifos, Dragões e Sombras \o/

Quero começar dizendo que me senti enganado por essa capa maravilhosa  porque o dragão aparece só em umas cinco páginas e ele não nem o desafio principal, imagina quando eu for ler Dragões de Éter que me disseram que não tem dragão na história XD

Logo de cara já achei duas coisas interessantes:

1. O mundo criado pela Ursula neste livro é um arquipélago gigante (terra, mar), ela foi bem diferentona, porque na maioria das fantasias vemos grandes continentes, grandes cordilheiras de montanhas, grandes não-sei-mais-o-que, e aqui é um monte de ilhas, ainda não tinha vista isso. Ah tem mapa também 

2. Ged, o personagem principal, não é aquele mocinho de pura bondade, inocente, de moral ilibada, e... nossa eu falando desse jeito parece que o menino é um pervertido... não é bem assim, ele só não é aquele protagonista perfeito, e infelizmente ele chega a ser um pouco chato no começo, porque Ged é arrogante, teimoso, se acha, e deixa claro que quer poder e ponto final, chega até a pensar isso sobre o mestre dele: "que vantagem havia em ter poder quando se era sábio demais para usá-lo".


O personagem melhora depois de alguns golpes da vida, às vezes dados por ele mesmo. Tudo isso o torna mais interessante, pois é falho e por causa disso mais humano. Fora essas coisas ainda há a questão de ele ser negro  Não só ele, mas grande parte das pessoas do Arquipélago. 

Lendo o posfácio me deparo com isso: 

"Infelizmente, na época, eu não tinha poder para combater a recusa pura e simples de muitos capistas em colocar pessoas não brancas na capa de um livro."

Página 174

Esse é um assunto que mereceria um espaço só dele, no futuro quem sabe pode rolar um texto aqui para conversarmos ^^ Foi por essa e por outras que comecei a amar essa mulher. Agora fiquei na vontade de ler A Mão Esquerda da Escuridão...

Voltando... No entanto, esse livro não é diferente só em relação ao personagem principal, há uma grande diferença se o compararmos a outras obras de fantasia: não há guerra em Terramar! O tema desse primeiro livro da série é a busca de conhecer a si mesmo, é essa a jornada de Ged. O grande desafio dele é enfrentar uma sombra sinistra que ele mesmo invocou quando jovem, o que faz tecnicamente Ged ser o vilão e o mocinho de sua história.    

"[A Sombra] Estaria em seu rastro agora, buscando aproximar-se dele, para sugar sua força para dentro de si, esvaziar-lhe da vida e cobrir-se com a sua carne."

Página 84

Era isso pessoal. Fica a dica para quem quer ler algo para respirar novos ares ou mesmo está começando a se aventurar na Fantasia. 'Té mais. 


Leia mais mulheres \o/


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...