domingo, 30 de outubro de 2016

Tag do Outubro Atrasado


Olá grifos! Cá estamos ainda em outubro. Uhull!

Nesse Mês do Horror preparamos uma tag com alguns livros/filmes clássico do terror. Nossa primeira tag original \o/ Quem quiser, sinta-se livre pra responder, é só linkar a gente.

Vamos lá...




1. O médico e o monstro - Uma história que se transforma, que não parece, mas é de terror ou tem elementos do gênero ou simplesmente te assusta.

Chave Mestra! Não parecia ser de terror, mas é, porque tem aquele negócio do Vodu. É só isso que tenho pra dizer, vai pra próxima, criatura.


2. Bebê de Rosemary - uma história que teve uma sequência ruim, um fruto podre.



Premonição, os três primeiros são incríveis, o terceiro é o melhor, que é o da montanha russa, toda vez que assisto fico uns dias impressionada, mas depois passa, ainda bem. O 4º é podre, p-o-d-r-e, detestei. O 5º nem assisti. Desisti da série. Mas amo, mim-julguem!


3. Psicose - tretas em família.

O chamado. Rolou uma jogada no poço básica, não tenho nem muito o que comentar depois disso. ;P

A Samara foi adotada, sempre teve problemas de socialização, ficou anos em um quarto num hospital psiquiátrico. A mãe adotiva pirada jogou ela num poço e passou 7 dias pra morrer. Família-pura-treta.




4. O exorcista - uma história que te mudou de alguma forma.

A Casa de Cera. Foi o primeiro filme de terror que assisti então tem um significado bem nostálgico. Meu primeiro contato com as trevas, e tô casada com elas até hoje.


5. O corvo - "E o corvo disse: nunca mais". Uma história de terror pesada, ou não, que vai ser difícil você rever/reler... "nunca mais".

"Let's play a game." Não curto muito terror gore. Pois é... Os Jogos Mortais é isso, é tripas e tudo o mais. Se fosse uma cena ou outra tava ótimo, mas assim não seria Jogos Mortais, né? A pegada do filme é essa, não é gerar uma sensação de medo necessariamente, e sim um desconforto pelo "nojo". O problema não é ele sou eu >.<



6. Drácula - Uma história que suga sua atenção.

O Rei de Amarelo S2 pelo menos aqueles 4 contos de terror sobre a peça que não pode ser lida. É lendo e o Rei de Amarelo vindo fazer uma visita.

A história é tão... ah! Não sei nem explicar, você cai numa mitologia complexa e inexplicável, que só deixa a pessoa mais curiosa. É aquele tipo de história que insinua existir algo muito maior por trás. 

7. Frankenstein - uma história de terror que junta vários elementos em um só.

Não queria falar nem American Horror Story nem o Penny Dreadful, adoro as duas séries, mas seria uma resposta muito fácil... deixa eu pensar em outra coisa... 



Tem um filme meio de humor, meio de horror: Contos do Dia das Bruxas. É um filme com vários elementos do Halloween com umas quatro histórias diferentes, simultâneas e intercaladas de alguma forma. Lembro que tem abóboras, vampiros, vizinhos enterrando coisas no quintal, monstros? fantasmas? Lembro de ter gostado. Vai ser minha resposta.  


Era isso. Feliz Halloween \o/


Babadook-dook-dook: O horror do luto




Vou logo começar dizendo que esse não é aquele tipo de filme de horror que você fica se cagando de medo, "vou dormir de luz acesa", mas é aquele tipo que você termina e fica: "hum... dá pra tirar altas conversas desse filme, quero alguém pra falar sobre, cadê alguém?". E é pra isso que tô aqui hoje.

É um filme relativamente curto de uma hora e meia mais ou menos dirigido e roteirizado por uma australiana chamada Jennifer Kent, que conta a história da visita do Babadook, um mostro de um livro "infantil", a uma família cuja mãe ainda tenta superar a perda do marido, que morreu num acidente enquanto a levava para o hospital pra dar à luz o filho, hoje um garotinho chato pra caralho de 6/7 anos.


A mãe tem sérias dificuldades em amar a criança. Ela se mostra como se obrigada a abraçar, é quase indiferente ao garoto, quando ele tem um pesadelo e pede para dormirem juntos assim que o menino cai no sono ela se solta dele e se vira, indo dormir no canto mais longe possível da cama. Como se ela associasse a morte do marido com o filho.

Para uma boa noite de sono: nada como uma boa história antes de dormir para acalmar a cria do cão a criança. Nada como escolher um livro que apareceu do nada na estante... Vamos ler Babadook hoje meu filho, vai ser super divertido.



Então Babadook começa a aparecer para o menino. Começa a perturbá-lo, a amedrontá-lo. O comportamento dele fica mais agressivo. E grita e chuta. Tem convulsões ou é possuído. Fica obcecado pelo Babadook, só fala nele. A situação fica tão séria que a mãe rasga o livro e joga no lixo.  

Mas... num dia lá está o livro inteiro no chão da porta da frente. Agora com mais páginas. Mais poderoso. "The More You Deny Me, the Stronger I'll Get" ("Quanto mais você nega, mais forte vou ficar"), essa frase define o filme.

A partir daqui o bicho fica louco: a mãe começa a ver o Babadook também.


"Como você está?" "Ah, tô bem... tô ótima."

Basicamente é um filme de pessoas lidando com a perda, que no começo apenas negavam para todo mundo, que com todas as forças diziam ter superado, diziam estar ótimas. Na verdade, haviam deixado o Babadook entrar. 

O medo, a raiva, o luto, o desejo de matar, a culpa. Babadook é como se fosse a exteriorização de pensamentos e sentimentos reprimidos. A mãe joga pra fora de si por não aguentar mais, e começa a encarar aquilo como se fosse de outra pessoa ou de outro ser. Babadook. Mas de uma forma ou de outra ela terá que enfrentá-lo.
  

Era isso. 'Té mais.




P.S.: achei desnecessário terem mostrado a cara do Babadook, ficou um pouco tosco... fazer o que, né?


sábado, 29 de outubro de 2016

Robert E. Howard, dois contos de horror


"Não se via nenhuma luz passando pelas janelas, nem no andar superior nem no térreo. Parecia deserto. Mas o covil de um escorpião sempre parece deserto, até que a morte silenciosa ataque de súbito."

Página 140

Eh! quase acabando outubro. Mês do Horror \o/

Primeiramente queríamos mandar um abraço pra Tatiana Feltrin, porque inspirados nela que começamos essa história de Mês do Horror aqui no blog.

E o que temos pra hoje? Alguns contos de terror do Robert E. Howard, e como todas as outras vezes que citei o nome dele tenho que dizer que é o autor do Conan, o Bárbaro. Ok, vamos para os contos.

Vou falar só dos contos que achei mais interessantes dentre os que formam o livro publicado pela Martin Claret: Rosto de Caveira, os Filhos da Noite e outros contos (bem curto esse título).

Ficha Técnica

Título: Rosto de Caveira, Os Filhos da Noite e outros contos

Autor: Robert E. Howard

Editora: Martin Claret

Tradutora: Bárbara Guimarães

Ano: 2013

Páginas: 305

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Crianças e susto. #MêsdohorrorPPG


Versão Tim Burton de Harry Potter - possivelmente fanart.
(Quando não tem HP, nois força ate ter. \o/) 

Olá Grifos! o/
Como estão? Então já estamos em Outubro, isso mesmo o mês mais esperado do ano! <3
E como vocês sabem aqui no Parágrafos gostamos muito das trevas e do terror...




Bem bem... nós pensamos que esse mês é marcado não apenas pelo Halloween mas, também pelo dia das crianças, que dá no mesmo... crianças assustam muito! O_O E quando pensamos em terror e em crianças, a primeira pessoa que vem a mente é ele, o mozão, Tim Burton:




Tendo essas ideias em mente fizemos uma pequena lista de animações dirigidas pelo Tim, ou em parceria com ele. Lembrando que não é uma lista das melhores, é apenas uma lista de animaçoes legais que contam historias de terror para crianças... <3

1. O estranho mundo de Jack:




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...