quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Mitologia - Herr Mannelig


"Ao amanhecer, antes que o Sol surgisse
E os pássaros catassem sua doce canção
A Troll, com a língua falsa,
Enganosamente propôs ao cavaleiro:
Herr Mannelig, Herr Mannelig, comigo você quer se casar
Por tudo que graciosamente te darei?
Se quiser, responde só sim ou não.
Você fará isso ou não?"


Herr Mannelig é uma balada medieval sueca sobre uma Troll das montanhas que propõe em casamento um cavaleiro que ia passando (te vi, já te quis), pra ser bem convincente ela oferece alguns presentes, diz que vai dar a ele os melhores cavalos, que nunca haviam sido montados, além de uma blusa da mais branca seda, uma espada dourada, como tava tendo promoção ela ofereceu ainda doze moinhos cobertos de cobre e prata pra fechar o pacote.


domingo, 22 de novembro de 2015

Grifo Nosso: Adams & Ayn



"A história de todas as grandes civilizações galácticas tende a atravessar três fases distintas e identificáveis - as da sobrevivência, da interrogação e da sofisticação, também conhecidas como as fases do como, do porquê e do onde.

Por exemplo, a primeira fase é caracterizada pela pergunta: Como vamos comer?

A segunda, pela pergunta: Por que comemos?

E a terceira, pela pergunta: Onde vamos almoçar?"

Guia do Mochileiro das Galáxias, Douglas Adams (página 155)

Douglas Adams logo de cara num texto já tá de boas... Mas esse texto é sobre o que mesmo? Não sei! Tive uns pensamentos malucos quando tava lendo A Nascente da Ayn Rand (pode demorar, mas vai ter resenha), e depois arrumando o quarto lembrei dessa frase do Guia, se ela casa ou não com o tema, ou se tô falando sobre futilidade ou não, depois alguém me diz, simplesmente resolvi escrever. \o/



Sendo bem exagerado: já passamos do tempo que o que importava é o 'ser', acho que até a importância do 'ter' já tá caindo, o negócio hoje é o 'parecer'. Onde vamos almoçar? Onde queremos que os outros nos vejam almoçando? É fundamental 'parecer', então, sorria e acene. 


sexta-feira, 13 de novembro de 2015

O Cemitério (Pet Sematary) – Stephen King (o livro)


“ — Meu bem — disse ele —, se dependesse de mim, Church viveria cem anos. Mas não sou eu quem dita as regras.
— Quem é então? — ela perguntou, e com infinito desprezo acrescentou: — Deus, não é?
Louis reprimiu o ímpeto de rir. Aquilo era bastante sério.
— Deus ou alguém — disse ele. — Os relógios também param... Isso é tudo que eu sei. Não temos garantia de nada, querida.”

Pág. 46

Eu tava decidido que não ia escrever este texto, porque a gente já tinha gravado um vídeo pro Mês do Horror sobre o Stephen King (aqui), então não havia necessidade. Mudei de ideia, e este texto nasceu \o/

Esse foi o primeiro livro do King que li; sim, ainda não tinha lido nada dele, me julgue, e já percebi uma coisa: ele gosta de criar o ambiente, é sério e não tô falando de descrições do local que passam folhas e folhas pra descrever o chão, não é isso, e que fique bem claro! Tenho a impressão que é uma “marca” do autor, quase 80% (ou um pouco mais, vou me arriscar a dizer) é dele montando a atmosfera, envolvendo o leitor, explicando devagar como funciona a “mitologia” da história, como funcionam os personagens, pra no fim ter o corre-corre-corre-mata-todo-mundo; parece que o King quer que o leitor esqueça que tá com um livro de terror nas mãos pra pegar ele desprevenido. 

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Mês do Horror: Especial - Stephen King




Olá Grifos! \o/
Bom, nosso especial do mês do horror finalmente ficou pronto, e sim, sabemos que está um pouco atrasado, mas contratempos ocorreram com o editor de vídeos; O que importa é que terminamos e tá incrível. Para a melhor didática, dividimos em duas partes. Esperamos que gostem, quem compartilhem e convertam seus amigos em Grifos também.

Então queridos Grifos, sem mais delongas, o especial Stephen King por Parágrafos Para Grifos:

Parte I:




quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Chamando todas as góticas suaves!


POR: MORPHEUS


Estou aqui pra falar de uma coisa que vem me chamando a atenção na internet ultimamente. O surgimento de um movimento Gotico Suave, não sei se o nome é oficialmente esse, a gente usa como brincadeira, mas vi que realmente ta acontecendo. Roupas escuras, Tumblr, "Popzinho dark"...


Estou muito feliz por ver o surgindo no meio musical artistas como Lykke Li, Lorde, The Black Belles, She Wants Revenge, Banks,,, e vários outros artistas que estão trazendo um som melancólico com um tempero dark. Mas como tudo tem seus prós e contras, e como de costume na internet, as pessoas estão resumindo a cultura gótica a esse novo estilo "gótico leite com pêra". Não quero desmerecer ou diminuir essa nova roupagem que estão dando ao estilo gótico, mas não esqueceis dos percursores do movimento. Já que me fizeram sair do meu caixão, vamos a uma aulinha sobre cultura gótica...


segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Festa no céu




Eu fiquei pensando no que poderia trazer para vocês no dia de hoje, o dia dos finados, ou dia dos mortos; e para escrever a verdade não consegui nada melhor do que "Festa dos mortos".



A historia começa quando um grupo de crianças vai ao museu em uma visita guiada, como uma forma de "punição" por seu mal comportamento; ao chegar lá uma moça começa a lhes contar uma historia contida no grande "livro da vida", a historia que lhes foi contada envolve três mundos: primeiro o mundo dos lembrados representado pela adorada deusa Catrina/La Muerte, que faz uma aposta com o deus Xibaiba representante e deus do mundo dos esquecidos; sobre o destinos de três mortais e amigos de infância: Maria, Manolo e Joaquim.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...