sexta-feira, 31 de julho de 2015

Dia de luz, festa de sol O_/

Minha história e relação com o universo de Harry Potter iniciou-se quando eu tinha os meus doze anos. Minha adolescência foi marcada pelos filmes, pela tentativa de ir ao cinema e assistir A Ordem da Fênix e não ter sucesso, visto a quantidade de pessoas e por acompanhar, vez ou outra, algo sobre a trama. Lembro que quando Relíquias da Morte Parte II estreou fiquei paralisada, pensando: "Acabou...", mas aquela tensão e aperto no peito logo se foram e me distanciei de Harry, Ron, Hermione, Molly, Dumbledore, Snape e todos os maravilhosos personagens e criaturas oriundos da mente magnífica e genial de J.K. Rowling. Cá estou, com vinte anos na cara, e especificamente neste ano essa admiração retornou - Like a Lord Voldemort :p -. Vendo postagens e vídeos relacionados (Agradeço aos blogs e ao canal Observatório Potter <3) simplesmente acendeu em mim a vontade de ler os livros, que não, não os havia lido. Então comecei a adquirir um por um e a formar a minha coleção, que vai continuar a crescer. E então a admiração se expandiu e um sentimento familiar nascia em meu coração: amor. Amor pelo enredo peculiar. Amor pelos personagens, ainda que não todos, amor pelas relações construídas, pelo amadurecimento de cada personagem, amor pelas criaturas fantásticas, pela escola que todo e qualquer potterhead sonha em estudar... Amor por uma saga que veio destruir forninhos e que esfregou na cara das doze patéticas editoras o quão esplêndida é essa mulher, que desacreditada mas persistente, levou Harry e Cia para além da Inglaterra, que nos brindou com um universo mágico, original e apaixonante. J.K. é o exemplo da luta feminina por espaço e liberdade, exemplo de mulher que dentro das limitações que lhe foram impostas e dores não desistiu e acreditou em todo o seu potencial. Mulher, você é dez, é mil, é um milhão. Admiro seu humor, sua mente especial, seu sorriso e sua entrega à escrita. Você merece 50, 100, 1000 anos a mais para brindar esse mundo com a beleza de suas histórias. Que não te falte força para continuar buscando seus objetivos. Que não te falte saúde para desfrutar de cada precioso momento com sua família e fãs. Que o amor que te cerca se expanda ainda mais. Luz sempre em seu caminho. Feliz aniversário, Rainha. Não sabe o quão grata sou por ter assistido a primeira cena de A Pedra Filosofal e de ter me jogado nas páginas de seus livros. Com você a palavra Always adquiriu um significado enorme e todo especial, é o nosso mantra. Obrigada, de todo o meu coração, Joanne Rowling <3 



E a você, Harry James Potter, obrigada pela honra de acompanhá-lo em sua jornada. Obrigada por me permitir chorar, sorrir, lutar e torcer ao seu lado. Feliz Aniversário <3

Sobre Lucy...



Pelo titulo você, meu caro Grifo, pode pensar nessa moça aqui:



E vocês não estão errados, mas vamos falar de alguém diferente...




Lucy é uma jovem que se mudou para estudar na Coréia do Sul, mas errou feio, errou rude, ao aceitar o pedido de um cara que ela conhecera a uma semana para entrar em um hotel e entregar uma mala a um homem chamado Mr. Jang, que na verdade é um mafioso e traficante coreano, que a transforma em uma mula (pessoa que transporta drogas em seu corpo) ameaçando sua família.



O que acontece é que a substancia CPH4 que é usada como droga para lucrar pelos traficantes, acaba por vazar dentro do corpo de Lucy, e de acordo com a logica do filme, desencadeia o rápido desenvolvimento cognitivo da moça, Já que essa substancia tem esse fim biológico, mas lembrando que essa é apenas a logica do filme. Pelas minhas pesquisas essa substancia existe sim e as informações do filme, de que as gravidas a produzem em pouca quantidade, estão corretas o ponto de duvida é o dos efeitos e do tempo que eles levam para se manisfestar.




A primeira questão que me veio a mente quando estava assistindo e que creio que tenha sido de intuito do diretor é: "O que faríamos com o total domínio de nossos cérebros?"

Na verdade o filme passa uma mensagem logicamente bonita, tem um momento em que a pernagem principal diz que com a percepção ampliada notou que os desejos egoístas são primitivos, e se fizermos uma interpretação bem profunda mesmo podemos pensar que a violência (que inclui roubos e assassinatos) poderiam se encaixar nesses desejos egoístas e que, uma vez mais inteligentes, menos violência existiria dentro da sociedade humana.

Claro isso é só uma interpretação, algo que o roteiro sugeriu, já que transformou Lucy em uma "quase super heroína", que foi caçar e prender os traficantes ao invés de mata-los por simples desejos humanos de vingança.

Outro ponto muito interessante é que se trata de um filme de ação e ficção cientifica com uma mulher como protagonista, na sociedade machista em que vivemos esses não são muito comuns, mas quando aparecem destroem nossos forninhos, Não é mesmo Tarantino e Thurman?


A atuação da diva maravilhosa da Scarlett Johansson já não é surpresa, ela cresceu muito como atriz e o personagem Lucy ilustra muito bem isso, enfim como eu estava dizendo, o roteiro do filme faz uma comparação entre a primata Lucy e a humana Lucy, ambas pioneiras em descobertas de novas funções de seus cérebros e melhor domínio de seus corpos, cada uma em sua configuração temporal e social. Claro que a ideia envolve uma gama de implicações, afinal são milhões de anos, mas é muito pertinente e inteligente. As Lucy's mandam! VLW FLW!
ATENÇÃO: as cenas a seguir podem te fazer "xonar" e explodir seu forninho!



Uma pausa para a zoeira:



Pronto! Agora voltando; são incríveis as possibilidades que o filme traz, em relação aos poderes que teríamos se desenvolvêssemos nossa capacidade cerebral mesmo que um pouco a mais que os 10% que já temos; os "poderes" de Lucy são gradativos e proporcionais ao domínio que ela passa a ter de seu cérebro, ela aprende tudo de tudo mesmo, telocinese, física quântica, medicina, engenharia, além dessas bobagens, o mandarim. Claro que existem outras habilidades "fodonas", tipo essas:










Todos os atores foram fantásticos, o nosso queridíssimo Freeman também teve uma participação maravilhosa, mas seu papel foi mais para situar o telespectador na questão cientifica do filme e pra ficar impressionado com os novos poderes de Lucy, mas creio que o Professor Norman foi perfeito em seu posto.
Sobre a critica da Lucy acerca da pesquisa que ele levou 20 anos para escrever...



Outro ponto que me chamou a atenção nesse filme e em um dorama coreano, foi a questão do retrato que ocidente tem que passar do oriente e vir-se versa, em Lucy o Mr. Jang, que é interpretado por um ator que eu não conhecia, mas que vou acompanhar, chamado Choi Min - Sik, é um traficante um "vilão" digamos assim; além do Jackie Chan e Jet Li não lembro de boas imagens de asiáticos no cinema ocidental. é a mesma coisa na mídia asiática, raramente se tem uma boa figura dos ocidentais, sempre violentos e impulsivos, principalmente os estadunidenses; e as pessoas imaginando que a guerra fria acabou...
Nesse ponto creio que o fato desse trabalho de equipe entre pessoas de diferentes nacionalidade na produção desse filme mostra que estamos dando mais um passo para mudar esse quadro.



Mas notei também que a Coréia do sul ganhou um espaço notável aqui no ocidente, depois dele, o todo poderoso, o todo gostoso, o indestrutível... Mushu! Não, pera... #TioPSY #Divo


Em síntese o filme me deixou muitos questionamentos e uma ótima impressão, para além disso e se existir mesmo um ou mais deuses, não poderiam ser eles humanos que aprenderam a usar 100% dos seus cérebros? Uma vez ouvi de um amigo pagão, que todos nós somos deuses por dentro, só não sabemos disso ou esquecemos ao longo do tempo, quem sabe? o que vocês acham? Ok, parei com as perguntas! Mas, comentem o que vocês acharam e me respondam também.


Ficha técnica do Filme:
Titulo: Lucy
Diretor: Luc Besson
Gênero: Ação; Ficção cientifica
Nacionalidade: França
Ano:2014
Elenco: Scarlett Johansson; Morgan Freeman e Choi Min Sik dentre outros

Ate a próxima meus amores! <3

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Curtas de Animação #1



Tenho uma queda por histórias curtas, seja contos ou curta metragens, então resolvi trazer três curtas de animaçãos pra vocês conhecerem:


1. O Emprego (2008)

Ok, eu sei que é começar pegando um pouco pesado, não porque a história seja triste, mas é meio deprimente ver que é quase assim mesmo nossa realidade; qual a diferença de humano pra um objeto?


terça-feira, 28 de julho de 2015

Literatura Piauiense: retire-se (?)


O que você está fazendo aqui? Por favor, se retire, se afaste, vire o rosto, não dê atenção, continue cagando e andando junto com o resto, com os outros.

Ainda...? Ok.

Lembrando que já temos outras discussões sobre literatura piauiense se se interessar:

Nesse texto, vamos conversar sobre aqueles artistas que abandonam suas cidades, estados, países, que traem o movimento, que apunhalam a cultura de sua terra, seu povo em busca do sucesso. Que drama, não?

Pois é... que drama esse de a pessoa ter que migrar pra encontrar um pouco de reconhecimento (uma migalha que seja). Assim se tornam um bando de retirantes com seus livros debaixo do braço, com suas músicas no bolso, seus sonhos no chão.


domingo, 26 de julho de 2015

And I say: Hey, yeah, yeeah, yeeeah ♪

Boa noite, amores! Como estão, hum? Ainda de férias ou já voltaram à luta diária? Vim fazer essa resenha com a cara e a coragem porque definitivamente não saberei expressar em palavras o turbilhão de sensações (!) que foi assistir a Sense8


A série foi produzida e lançada pela Netflix, os criadores são os irmãos Andy e Lana Wachowski, responsáveis por Matrix. A história gira em torno de oito pessoas (Ah vá!), de nacionalidades/personalidades distintas e há uma conexão entre eles e elas que ainda não consegui compreender por inteiro. O que pude entender é que os oito não são exatamente humanos, fazem parte dos "sensitivos" e há uma importante e perigosa organização em busca deles porque a mesma os vê como uma ameaça. 

Inicialmente, acompanhamos a rotina de cada um deles/delas, seus hábitos, a relação com a família, amigos ou companheiros/companheiras. Então, a partir do momento que passam a ter conhecimento da existência do outro, suas vidas "se cruzam" e sentimentos florescem, desde companheirismo e afeto até desejo e amor. 

Não consegui entender à fundo o que são e o que representam e como exatamente eles "surgiram". Em alguns momentos pisquei várias vezes, tentando me encontrar na trama, mas você não tem folga não, é uma emoção atrás da outra. Acredito que ao longo das próximas temporadas (Estou confiante) as interrogações serão esclarecidas.



E quem são os oito, afinal?


Na primeira linha, começando a partir da esquerda, temos Capheus Van Damme, motorista de uma van em Nairóbi e dono do sorriso mais puro e sincero de toda a série; ele possui a capacidade de tirar algo de bom de toda e qualquer situação. Lito Rodriguez, ator renomado de filmes e telenovelas, residente na Cidade do México; Lito vive um relacionamento com Hernando (Lindos, venham k <3), um amante das Artes, mas por receio de que seu relacionamento venha à tona e acabe por causar um "escândalo" e consequentemente respingue em sua carreira, ele mantém um namoro de fachada com sua amiga Daniela. Sun Bak, economista que vive em Seul, lutadora de kickboxing (E que lutadora! Sun tem um talento estrondoso. Deixa qualquer um no chinelo, literalmente), é uma mulher firme, de olhar duro, mas que carrega no peito a dor pela perda da mãe quando ainda era criança. Riley Blue é natural da Islândia, mas vive em Londres, trabalhando como DJ; Riley possui um passado cheio de perdas. Seguindo a mesma sequência, temos o meu amorzão/maridão Wolfgang Bogdanow, um alemão de temperamento difícil e estilo de bad boy que arromba cofres junto de seu melhor amigo, Félix; Wolf teve uma infância marcada por um pai opressor, que mereceu e muito o que lhe ocorreu. Will Gorski, um policial que reside em Chicago, possui um ideal enorme de justiça; um assassinato marcou sua infância e o fato de não ter sido solucionado o persegue com pesadelos. Nomi Marks é uma hacker, que vive em São Francisco, junto de sua namorada Amanita; Nomi é transexual, um exemplo de luta pela liberdade de sermos quem somos e de que a felicidade não se baseia em rótulos infames, construídos socialmente. Kala Dandekar, é farmacêutica e mora em Mumbai; ela está prestes a se casar com Rajan, entretanto, ela não o ama e logo esse sentimento e a inquietação que o acompanha, a fará repensar e analisar que decisão tomará.

Essas descrições são superficiais (Wikipedia me deu uma mãozinha), bem sei, mas é proposital, acredito que tiraria toda a magia se descreve-se com detalhes (E mesmo que eu desejasse, não iria conseguir transpor com tanta fidelidade) as angústias, perdas, dores, vontades e anseios de cada um deles e de cada uma delas. Você torce por eles, sente o medo que os cerca, as dúvidas. Tem aquela vontade de atravessar a tela e lutar ao seu lado. Você se emociona, idealiza e vibra pelos casais que já existem e pelos que estão a se formar. A interpretação dos atores é magnífica. Olhares e gestos bastante expressivos. Cada um transmite com maestria a essência de seu personagem. Querem mais motivos? Vamos lá.

Abertura


Sem brincadeiras e "puxasaquismo", é uma das mais belas que já vi. A mistura dos lugares em cada país, das pessoas, das culturas é de encher os olhos. A série toda tem uma fotografia linda, que te faz querer arrumar as malas e conhecer todos os lugares apresentados no decorrer de cada episódio. 

Trilha Sonora


A sonoplastia é bem elaborada. Nos momentos certos nossos ouvidos se enchem com trilhas de suspense, ação. Somos brindados também com The Who (Baba O'Riley), 4 Non Blondes (What's Up - Há uma cena em que todos os personagens cantam juntos essa música. É simplesmente uma das mais delicadas e emocionantes <3) e Knockin' On Heaven's Door - não tenho certeza a quem a música pertence mas irei por como sendo do Gun's and Roses. 

Histórias de vida marcadas por altos e baixos, aprendizados, lutas e perdas, amor, afeto, rejeição, desejo... Uma montanha russa de sentimentos te aguarda com Sense8 e seus 12 episódios. Estou arrebatada e anseio loucamente a segunda temporada - infelizmente ainda não temos uma confirmação oficial mas os dedinhos estão cruzados e diante da receptividade do público com a série é bastante provável que renovem. Uma série crua, intensa e nada comum. 

"É isso que é a vida... medo, raiva, desejo, amor".

Espero que tenham curtido e gostaria muito de saber a opinião de vocês aí nos comentários e, é claro, se os convenci a assistir, haha :D E aos que já assistiram, comentem o que acharam e o que esperam para a próxima temporada (Estou realmente confiante). Até a próxima, amores <3

C.Schreave

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Quadrinhos: Arnaldo Albuquerque


Que tal começar esse texto já passando segurança pra vocês? Só que não... né? Eu não sou a pessoa mais indicada pra falar sobre Arnaldo Albuquerque, ou sobre quadrinhos, acho que ainda conheço tão pouco sobre, mas mesmo assim queria falar desse quase nada que sei.


"a exemplo dos cactos que infestam as caatingas de cá, não precisou de muita chuva para crescer e florescer."
Cineas Santos*

domingo, 19 de julho de 2015

I'm here \o/

Gente, que saudades <3 Estou há um mês e alguns dias sem postar nada no blog </3 Os dois últimos meses foram bastante corridos para mim e empaquei nas leituras. Mas hoje entrei oficialmente de férias e garanto que farei o possível para postar com mais frequência \o/ O Grifo está cheio de planos para esse mês e já tenho em mente a resenha de um livro que deve sair logo logo (fiquem curiosos u_u). Mas para marcar meu lindo retorno a esse espaço que tanto amo, resolvi responder a uma tag (não tão nova) que encontrei no blog (e já havia visto em alguns vídeos) Estante de Sorrisos . O título da tag é Taylor Swift Book Tag: são doze músicas da Taylor e conforme a temática da canção temos de encaixar um livro. Então, partiu \o/

1. We Are Never Ever Getting Back Togetherescolha uma série ou livro que você estava amando, mas depois decidiu que queria “terminar” com ela.



Depois de um certo tempo com o pé atrás em relação à série Hush Hush, resolvi parar com o preconceito tolo e baixei o primeiro livro em pdf. Me apaixonei por Patch. Vidrei na história e não via a hora de ler o segundo. Pois bem, pedi emprestado a uma amiga e em determinada parte da história, no meio talvez, comecei a me irritar, estava querendo voar no pescoço do Patch porque olha... Mas terminei a leitura, determinada a dar uma chance para o terceiro livro. Não passei da terceira página :/ A história simplesmente perdeu o brilho para mim, mas ainda tenho vontade de retomar, só para saber o final. Quem sabe nas férias de fim de ano?

2. Red: escolha um livro com a capa vermelha.

Tenho poucos em minha estante e como não vai rolar tirar uma boa foto agora busquei a imagem na internet.



Ganhei esse livro de presente do Sr J.Caronte <3 mas ainda não pude lê-lo :( Está na fila de leituras, até o final do ano sai resenha u_u 

3. The Best Day: um livro que te faça se sentir nostálgico (a).


Considero uma das histórias de minha infância. Tenho um carinho enoooorme por esse livro :') <3

4. Love Story: escolha um livro com uma história de amor proibida.



Não tenho um histórico longo com romances proibidos (apesar da temática muito me atrair u_u), mas quem leu a saga sabe de todo o autocontrole que Edward luta em manter quando está com a Bella. 

 5. I Knew You Were Trouble: escolha um livro com um personagem mau, mas que apesar disso, você não conseguiu resistir e se apaixonou (ou gostou muito) dele.



Não poderia ser outro: Matteo Vitiello, personagem da série (o livro que contará o romance de Matteo e Gianna é o terceiro volume) de mafiosos (Doro <3) de Cora Reilly: Born in Blood Mafia Chronicles. Descrito como dono de um sorriso de tubarão, 
Matteo rouba a cena no livro de seu irmão, Luca, e faz com que nós, leitoras, desejemos loucamente seu livro (que ainda não está disponível para baixar e a pessoa que vos escreve está se roendo de ansiedade). Com uma determinação obsessiva, Matteo consegue ser charmoso e bastante perigoso. Gianna, chega logo pra domar essa fera u_u 

6. Innocent: escolha um livro que alguém estragou o final para você.


Bem antes de sair a notícia de que o livro seria adaptado para o cinema e de toda empolgação dos fãs da história, fui a um encontro do Clube Vórtice Fantástico aqui na cidade e conversa vai, conversa vem, uma garota contou o final  :( Isso não fez com  que a minha vontade em lê-lo diminuísse, pelo contrário, eu tenho MUITA vontade de me jogar nessas páginas, não o fiz ainda por questão de tempo mas nessas férias o encaixarei. É o tipo de história que tenho quase cem por cento de certeza que irá me cativar e deixar uma marca. 

7. Everything Has Changed: escolha um personagem que se desenvolve bastante. 


Apesar de ainda estar iniciando a Ordem da Fênix, é perceptível as mudanças que cercam não só Harry, mas Rony, Hermione, Neville... Diante de tantos desafios e batalhas, os personagens crescem com a amizade, o amor, a dor, as perdas e vitorias. J.K é Rainha, minha gente, não há como negar. E é óbvio que não iria perder a chance de por Harry Potter nessa tag <3

8. You Belong With Me: um livro que você está ansioso (a) para ser lançado e você possa ler.


Mergulhar nos pensamentos obscuros dessa criatura, vulgo Grey <3 Vem, setembro! 

9. Forever and Always: seu casal literário favorito. 

Essa foi beeeem difícil. Eu não tenho apenas um, portanto, escolhi um dos meus favoritos: Travis e Abby, de Belo Desastre <3


10. Come Back... Be Here: escolha um livro que você não gosta de emprestar por medo de nunca mais voltar.

Tive uma experiência terrível com meu primeiro exemplar de A Culpa é das Estrelas então é muito provável que não torne a emprestar o novo exemplar que comprei. Na verdade, só empresto meus livros para os amigos mais íntimos porque tenho pavor de não cuidarem/não devolverem. Aaaah, o Livro das Criaturas de Harry Potter é outro que não empresto nem a cacete. 


11. Teardrops On My Guitar: escolha um livro que te fez chorar muito.


Nem preciso entrar em muitos detalhes :'( Meu anjo se foi cedo demais </3

12. Shake It Off: escolha um livro que você ama muito e não está nem aí para os haters.



O livro mais detestado do Verde é um dos meus favoritos, haha. Realmente não ligo para os haters, a história me envolveu bastante e enchi o livro de marcações <3

É isso, meus amores. Espero que tenha curtido a tag e sintam-se à vontade para responderem e "tagearem" por aí. Uma ótima noite pra vocês <3

PS:A tag foi criada pelo canal The Book Life ;)

Reino Vegetal





Em um reino que existiu há muito tempo atrás, não se sabe precisamente quanto, vivia uma princesa chamada Cebola, isso porque o rei e a rainha logo perceberam que a menina tinha a tendência de esconder seus sentimentos das pessoas e quanto mais ela amasse as pessoas mais ela os escondia, ate mesmo a princesa já havia percebido esse hábito, quase que involuntário, e seus pais associaram esses sentimentos escondidos as camadas da cebola.

Mas, quando observada de perto, era possível perceber que essa moça só escondia seus sentimentos ruins, para dar a falsa impressão de estar feliz, quando na verdade estava muito triste, para não preocupar as pessoas a sua volta e não deixar brechas para que outras pessoas interferissem em sua vida.

A princesa Cebola era muito engraçada, quando tratada da maneira correta perdia toda a sua acidez e ficava muito doce e meiga, quando era crua (verdadeira) conversar com ela fazia muito bem ao Cérebro, No entanto, mesmo que fosse uma princesa nem todos gostavam dela, apenas a toleravam, porque mesmo que sua atitude fosse um tanto ríspida e indelicada, ela desejava o bem estar das pessoas a sua volta, mas nem todos podiam ver ou entender suas atitudes.

E a princesa Cebola passou muito tempo esperando que alguém pudesse ver através de suas camadas e entende-la, e quanto mais seus pais lhe traziam príncipes de reinos vizinhos mais ela percebia que era difícil, porque sempre acabava sendo acida e má com os pretendentes que em sua maioria eram muito burros e ela realmente não tinha paciência com eles.

A princesa Cebola encontrou depois de alguns anos um rapaz chamado Tomate (sim, ele era um plebeu) que conseguia entende-la, e ela sempre achou que ele conseguia entender seus sentimentos, que ele conseguia vê-los mesmo que os escondesse e um dia perguntou a ele:

- Como você consegue ver tão bem meus sentimentos quando ninguém mais conseguia?

- É verdade. Agora que você tocou no assunto... Na verdade eu nunca conseguiria vê-los sem que você me mostrasse; então acho que o que você buscava não era alguém que conseguisse invadir seu coração e ver, magicamente, o que você estava tentando esconder, mas sim alguém que você confiasse o suficiente para que o deixasse entrar e mostrar seus sentimentos, eu me sinto muito privilegiado de ter a sua confiança e o seu amor.



Depois de se casar com o Sr, Tomate, e deixar o trono para o seu irmão mais novo a princesa... Ops Sra Cebola foi viver no campo com seu marido, dizem as fofoqueiras do reino vegetal que em breve teremos um casal de gêmeos que se chamarão Salada e Vinagrete.


FIM


Ainda sobre princesas e só pra animar mais:




Sobre as novidades:



Olá meus Grifos queridos, estamos aqui reunidos para falar das novidades a respeito de Noragami e de My Mad Fat Dairy, que estão lançando suas segunda e terceiras temporadas respectivamente, esse ano. E essa sou vendo tudo isso acontecer.





Vamos começar por My Mad fat dairy, que já lançou sua terceira temporada, no ultimo dia 22, não podia terminar de uma forma mais linda mostrando como a vida é feita de ciclos, e que precisamos passar para a próxima fase, mas mesmo assim as pessoas que amamos sempre estarão em nossos corações aonde quer que elas ou nós estejamos. Acho que a frase que poderia resumir essa série é essa:




Veja Aqui o que o Grifo já disse a respeito de MMFD;
Assista MMFD online Aqui.
P.S. Não encontrei informações acerca de download da terceira temporada.

Pra terminar esse vídeo do Archie cantando "lucky man":




Agora sobre Noragami:



Essa é a imagem promocional da nova temporada de Noragami, que se chamará "Noragami Aragato".
Confira nossas impressões da primeira temporada Aqui.

A equipe e o elenco serão os mesmos da primeira temporada:
Diretor: Kotaro Tamura
Composição da série: Deko Akao
Design dos personagens: Toshihiro Kawamoto
Produção: BONES


Bom, a data certinha não se sabe, na edição de Junho da Muntly Shonen foi a que trouxe as primeiras confirmações sobre essa nova temporada do anime, segundo também ao site Minna Sukki a estreia foi confirmada para Outubro deste ano querido de 2015. e eu apenas ansiosa estou. </3
No dia 06 de Junho o site oficial da série lançou um vídeo promocional com cenas do mangá pra dar uma pequena mostra da adaptação e matar os fãs do coração.







Enfim acho que essas são as principais informações ate agora, o que nos resta é esperar. Quando lançar virei aqui mostrar e pirar com vocês. Agradecemos muito o apoio que vocês têm nos dado, Amamos vocês! <3

Fontes:

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Tag: Meus livros, ninguém sai!



Primeira tag no blog ^^
Achei esta não lembro mais como, nem onde, tá aqui porque é diferente, ela usa umas frases de um viral pra fazer as perguntas. Pois é... Acredite; realmente fizeram uma tag sobre livros com aquele vídeo... (3 segundos de silêncio).




Ha-ha-ha Não, pera... =D Foi mal, tive que rir; essa tag é muito boa. Qualquer coisa culpem o blog De cara nas letras, que foi o criador destas perguntas. 

sábado, 11 de julho de 2015

Jack e a mecânica do coração.







- Que barulhinho é esse?
- É da chuva. Gosta?
- Da chuva não gosto, mas do barulho que ela faz sim.




Não sei se vocês já assistiram um filme que entrou em seus corações sem que vocês percebessem, mas é justamente isso que esse filme faz com quem o assiste, acho que uma característica das animações francesas, sem desmerecer as japonesas e todas as outras.
Trata-se da estória de Jack, um menino que devido ao fato de ter nascido no dia mais frio já visto pelo mundo, seu coração congelou e já não funcionava mais, então foi colocado em seu lugar um relógio coco, mas haviam três regras para que ele sobrevivesse com o relógio.

1. Não mexa em seus ponteiros;
2. Controle sua raiva;
E a mais importante:
3. Nunca se apaixone.

Mas ele acaba encontrando uma linda garota cantando na praça e se apaixona por ela de imediato; ele diz que se apaixonou pelo jeito desastrado dela, ele descobre depois que seu nome é Miss. Acácia e passa todo o filme em busca desse amor como um sonho.

Infelizmente eu não posso contar muito do filme, porque é pura emoção, simplesmente. O que eu posso dizer é que o filme mostra a dureza da vida de uma forma tão inocente, e o amor de Jack e Acácia é ao mesmo tempo doce inocente e muito quente e adulto, como eles mesmos descrevem. Esse filme entrou no meu coração para nunca mais sair e sempre vou me emocionar ao assisti-lo.



Quando Jack conhece Acácia logo descobre que ela não enxerga um palmo diante dos olhos sem seus óculos, por isso depois ele dá a ela "un bouquet lunettes". Eu realmente amei esses detalhes.


bom é isso meus amores espero que assistam e que venham me contar de que forma esse filme tocou seus mecanismos cardíacos. Ate a próxima" <3

vocês podem cer online Aqui.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Morte e Vida Severina - Somos muitas Adaptações



Para aqueles que ainda não conhecem Morte e Vida Severina é um poema do João Cabral de Melo Neto (JCMN) escrito entre 1954 e 1955, que vai narrar a caminhada de um retirante chamado Severino que sai de uma terra seca e hostil pro Recife, onde pensa encontrar uma melhor fartura, pelo menos uma terrinha melhor de onde tirar o que viver.


A história já começa com o personagem principal dizendo o nome dele, e que foi batizado com nenhum outro (sem sobrenome, sem ser nome composto, ele é apenas um Severino). “E daí?” Ora: ele logo de início não consegue se encontrar, tá tendo uma crise de identidade, não sabe como se diferenciar de tantos outros que sentem a mesma necessidade de migrar; o que mostra logo de cara que o poema não vai tratar só da seca, ou de questões sociais como a divisão de terras... 


                          “[...]
                          Vejamos: é o Severino
                          da Maria do Zacarias,
                          lá da Serra da Costela,
                          limites da Paraíba.
                          Mas isso ainda diz pouco:
                          se ao menos mais cinco havia
                          com nome de Severino
                          filhos de tantas Marias
                          mulheres de outros tantos,
                          já finados, Zacarias,
                          vivendo na mesma serra
                          magra e ossuda em que eu vivia.
                          Somos muitos Severinos
                          [...]”



Morte e Vida Severina é um poema relativamente grande e excelente, e ao mesmo tempo é uma peça de teatro. “Cuma?” É, pois é... Esse poema foi feito pra ser um Auto de Natal Pernambucano. “Hã?” É isso mesmo que você leu. Mas esse toque natalino eu só fui perceber realmente lá pro final da leitura... Então vá fazendo nota: é um poema sobre retirantes, uma peça de teatro, e ainda tem um pé no natal. Vamos pro próximo...

Vou citar de uma vez que ele também virou filme, mas por enquanto é só pra citar mesmo porque ainda não lhe assisti. Ok, próximo... Como já deu pra ver essa é uma obra que foi bastante adaptada pra vários tipos mídias; e como é um poema qual o problema de virar uma música? Vou pôr aqui a interpretação do Chico Buarque de um trecho de Morte e Vida Severina:


Não poderia finalizar esse texto sobre uma obra fantástica e suas adaptações sem dizer que ela também virou uma HQ nas mãos de Miguel Falcão e daí virou uma animação fodástica, vou pedir pra no mínimo depois disso tudo que falei você assistir nem que seja os primeiros trinta minutos da animação:



Deixo com vocês essa(s) dica(s) de algo pra ler, ou ouvir, ou assistir. Se me esqueci de outra adaptação: é só pôr nos comentários. Até...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...