quinta-feira, 8 de março de 2018

Razão e Sensibilidade - Jane Austen




Olá Grifos! \o/ Como estão? Terminei a leitura de Razão e Sensibilidade de Jane Austen, uma das escritoras mais influentes no mundo inteiro ate hoje. Ela sempre abordava questões injustas para as mulheres em seu cotidiano, nas suas obras. E acho que falar sobre esses assuntos todos os dias é a melhor forma de homenagear as mulheres. Claro que naquela época os problemas enfocados eram diferentes dos de hoje, mas não tanto assim... mas a luta é todo dia.
Por isso vamos trocar umas ideias e tentar entender como a Jane via a situação das mulheres, e dela mesma como tal, em sua época?  


1. Pequena sinopse:
A história é sobre as duas mais velhas da família Dashwood, Elinor e Mariane. Toda a trama começa com a morte do Sr. Dashwood (Pai), e a "divisão" da herança, em que só o seu irmão, John, filho do primeiro casamento do pai; recebeu todos os bens. As irmãs e a Sra, Dashwood ficarão em uma situação complicada em que tiveram que se mudar para um chale na propriedade de um parente desta última, em outras palavras, tiveram que recomeçar a vida de uma forma mais modesta. E a historia começa a partir desse ponto.



2. Amor X Dinheiro:

Antes de se mudarem para a propriedade do primo da Sra. Dashwood, elas tiveram que receber e tolerar por alguns meses o irmão e sua esposa, Funny, tomarem posse de sua herança e aceitar que a casa delas já não lhes pertencia. Além disso tiveram que se conformar com a renda que John quisesse fornecer a elas, por caridade e não por obrigação. Mas nem tudo foi ruim, Elinor conheceu Edward Ferrars, irmão de Funny por quem logo se apaixonou mas será que esse relacionamento seria permitido pelos Ferrars?

Já na nova casa, Mariane conheceu um rapaz chamado Willoughby, que a salvou heroicamente enquanto caia em uma colina e logo se encantou pela compatibilidade de temperamentos e opiniões. Mas ambos os rapazes tinham patrocinadoras muito exigentes quanto aos seus casamentos e o fato das senhoritas Dashwwod possuírem uma renda menor que o esperado, suas relações se tornaram um empecilho.


Nesse meio tempo as irmãs conheceram muitas outras pessoas mas a mais importante delas, foi o 
Coronel Brandon que se tornou um grande amigo da mais velha e se apaixonou perdidamente pela segunda irmã, achei a personagem bem parecida com o Fitzwilliam Darcy de Orulho e Preconceito naquela coisa de fazer tudo ao seu alcance pra fazer quem ele ama feliz. 

3. Questões sociais importantes e o real objetivo da historia:

 Nas narrativas da Jane Austen, as críticas ao seu tempo estão nas sutilezas, em mostrar que o fato de as mulheres não receberem sua herança em favor do irmão homem, era natural e nem por isso deixava de ser injusto. Ou que uma mulher, mesmo rica, também sofria pois não tinha voz na escolha de seu marido ou em qualquer outra questão, o que era convencional mas ainda era errado. E não tem como a gente dizer que é uma visão dos nossos tempos sobre o passado porque quem crítica é uma pessoa que viveu naquela época e já sabia que tinha muita coisa errada ali.

Apesar de muito opostas entre si Elinor e  Mariane são personagens femininas muito marcantes, se já para época... agora então... ambas muito inteligentes e estudiosas, principalmente Mariane que sempre estava com um livro. Mas como a história precisa de um objetivo central, nesse caso é a aprendizagem sobre o julgamento precitado do caráter alheio, lição que mesmo eu ainda estou em progresso... hahahahaha

Podemos pegar o exemplo do julgamento que Mariane fez ao conhecer o Coronel Brandon e perceber que ele já tinha uma idade mais avançada para a época e em relação a ela mesma, ou seja, ele devia estar na casa dos trinta, Para Mariane o amor já não viria e por isso ele seria um velho solitário e triste ate seus últimos dias. Ela nem se deu ao trabalho de conhecê-lo antes de proferir tais palavras. No decorrer da leitura você percebe que ela vai aprendendo e mudando sua opinião sobre o Coronel e muitas outras personagens.


   
4. Pontos Negativos:

Tem muitas pessoas que por não conhecerem bem ou por não gostar mesmo dizem que as obras de Jane Austen são muito... como posso dizer? Bobas? Superficiais? Sem uma mensagem realmente relevante? Não sei bem o que essas pessoas dizem mas parem... Vamos fazer críticas construtivas baseadas no conhecimento das obras e respeitar o gosto do coleguinha, ok?


É bem verdade que pra ler Austen é preciso muita paciência. Me vi irritada com todas as personagens em vários momentos e isso mostra que as personagens tem muita humanidade e por isso não são perfeitas e creio que esse é um único ponto que se converte em contra (pelo menos pra mim) para a leitura. Em outras palavras, a forma de escrever metódica e detalhista da autora pode irritar um pouco (ou muito).


No mais, indico muito o livro e espero que se divirtam e venham comentar aqui comigo, tendo ou não gostado.

Ate mais Grifos! <3

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...