quarta-feira, 31 de agosto de 2016

The Cursed Child - Especial dos Pais

Acho que esse texto está livre de grandes spoliers...



Eita já é o último dia de agosto, mas ainda tá valendo. ;P

The Cursed Child, a oitava história de Harry Potter, que veio à vida na forma de uma peça, trata muito sobre paternidade. Tem pai saindo de tudo que é biboca aqui. Podia falar de qualquer um, no entanto, considero o Ron mais como um tiozão, o Harry eu particularmente já não gostava dele, agora beira ao ódio, então dos principais sobrou quem? Quem? Lord Voldemort! Não, não é sobre ele que vou falar aqui e sim sobre Draco Malfoy. \o/


Para os desavisados, Draco tem um filho chamado Scorpius Malfoy, que entra para a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts já fazendo amizade com o filho/semi-clone-do-Harry Albus Severus Potter (vou ficar calado sobre esses nomes).

O Scorpius é o Excluído da escola, sofre um bully básico por causa do preconceito de o avô ter se envolvido com os Comensais da Morte e com as artes da trevas, e o Draco também. Além de correr um boato de que, na verdade, Scorpius é filho de-você-sabe-quem.



Já tô vendo que vou sair do foco...

Falando sobre Draco como pai: desde que a esposa dele morreu, o filho se tornou a pessoa mais próxima de uma família. É notável o amor dele pelo filho, Draco faz várias coisas para protegê-lo, algumas não dão muito certo, mas fazer o quê, né? 

O importante é que ele tenta estar presente, até enfrenta algumas personagens que agora são autoridades no mundo bruxo, vulgo Harry Potter, para que elas desmintam os boatos sobre Scorpius ser cria do Voldemort.



E ele faz isso tudo mesmo com o garoto sendo completamente diferente de como o Draco era na infância. Scorpius é inseguro, um nerd que fez amizade com um Potter, sério, o menino é muito gente boa. Mesmo assim, não vi o Draco o culpando por ser diferente, ou o afogando em expectativas de grandezas. Vai, menino, "ser guache na vida", vai ser feliz.

Antes de ir, não posso deixar de fora umas coisas: temos ainda outras figuras paternas na história: temos o pai do Cedric, que ainda hoje busca por algo que o console pela morte do filho; temos a presença do Dumbledore, agora como uma pintura/lembrança, mas não tem como negar que ele é praticamente um dos pais adotivos do Harry, vou dizer só de passagem que o professor Dumbledore tem as melhores falas dessa peça, sempre. 

Estou sofrendo para não soltar spoilers... então tchau, blz?



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...