sexta-feira, 22 de julho de 2016

Estúdios Ghibli #GirlPower


Olá Grifos! Como estão?

Então, como todos sabem a questão do empoderamento feminino vem lutando para crescer
e isso não difere dentro da mídia e da cultura popular no geral, pensando nisso e no nosso vício, um tanto preocupante, em animações, principalmente dos Estúdios Ghibli, que pra quem conhece um pouco sabe que a maioria das protagonistas é mulher/menina. Então vamos listar três das nossas favoritas; lembrando que são NOSSAS opiniões.

1. Chihiro:

Pequena sinopse (pra quem não conhece A Viagem de Chihiro):

Chihiro está se mudando com sua família para outra cidade e não tá nada feliz por mudar de escola e de amigos.


Então eles acabam se perdendo e chegando a uma cidade aparentemente abandonada, cheia de comida que seus pais começam a comer, sem permissão, e acabam por se transformar em porcos, a partir daí Chihiro tenta salvar seus pais do abate, e acaba tendo que enfrentar a bruxa, do mal que lhe rouba o nome (literalmente), para salvar não apenas os seus pais mas, todo o mundo espiritual dominado pela bruxa (aquela do mal, anteriormente citada! :D).
A viagem de Chihiro - Trailer:



Moral da historia: Não confie em comida que parece abandonada.

2. Mononoke Hime:

Bem ameaçadora e sanguinária essa garota. O filme vai trazer  um pedaço da vida de uma menina que foi criada por lobos. Mononoke tá lá serelepe na floresta... "Mogli o/ É Mogli é?"


Não, não é Mogli não... deixa de ser moco menino. Ok, deixa voltar... Por ter sido criada na floresta ela acaba assumindo um papel de guardiã da mesma e ajuda a eliminar as ameaças tanto espirituais como humanas que aparecem. Acho que ela trabalha demais por isso não pode sorrir na foto acima mas, pra isso temos o Mogli...

Mononoke Hime - Trailer



Moral da história: Diga-me com quem andas que eu te direis quem és?? Sei lá foi o melhor que a gente conseguiu pensar.

3. Sophie:

Castelo Animado \o/ Temos uma simples chapeleira... fazedora de chapéu... artesã?

Enfim, Sophie é amaldiçoada por uma bruxa que a envelhece. Não conseguindo mais encarar o mundo da mesma forma, ela decide fugir. Essa foi a solução encontrada no meio de tanto padrão de beleza, até o castelo passar por ela (não é Castelo animada atoa, ele tem pernas, língua e tudo mais).


No Castelo ela começa a trabalhar como empregada para pagar sua estadia; sim, além de velha ela estava pobre; e acaba por se apaixonar pelo feiticeiro famoso, o Howl, e acaba também por salva-lo de sua maldição (ambos tem suas próprias maldições, como na vida cada um tem a sua) e conhecendo a si mesma no processo.



O castelo animado - Trailer



Moral da história: mesmo se você envelhecer continua sendo gente.

Até a próxima gente! o/ Não, espera!


Qual é mesmo a finalidade desse texto?

"Vocês estão recebendo pra fazer propagando dos Estúdios Ghibli?"

Claro... que não! A ideia aqui era mostrar que a mídia no geral vem abrindo um espaço maior para a diversidade do papel feminino, E não só nas animações, nos filmes e até nos meus amados doramas! <3 As mulheres não são mais representadas como aquelas que esperam o salvamento, são as que salvam e tomam a liderança.

Mesmo que o sucessor do grande diretor Hayao Miyazaki tenha dito que mulheres não servem para produzir/dirigir animações como as acima cotadas, por lhes faltar imaginação, ლ(ಠ▃ಠლ) criando uma contrariedade com as ideias passadas pelos trabalhos do estúdio. Caso queiram saber mais leiam a matéria com detalhes Aqui.


Estão sentindo isso? É o texto finalmente acabando! Até a próxima (agora é sério)! o/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...