terça-feira, 3 de maio de 2016

Jurassic Park (livro)


\o/ Grifos, hoje temos dinossauros, Yeah! 

Quero testar uma ideia neste texto: vou fazer uma espécie de diário de expedição, a cada 100 páginas venho aqui escrever um pouco. Avisar logo também que posso me empolgar com esse tema e o texto não ter fim '-'

Mas primeiro... vai que alguém não sabe do que se trata o livro: um velho maluco por dinossauros e cheio da grana decide ir prum país onde as leis não atrapalhassem ele de fazer teste genéticos perigosos e montar um parque clonando seres extintos.

Página 100 - Galinha tem dente?

Já começou com uma surpresa: América Central, mais especificamente a Costa Rica. Não lembrava que a história se passava lá, tenho que reassistir ao filme assim que terminar de ler... É um filme de 93 será que ele sobreviveu a esse tempo...?  O bom é que aproveito e assisto ao novo (Jurassic World).

Voltando... Temos a apresentação bem de leve das personagens, a motivação de cada um dos humanos, e os primeiros contatos com algumas das estrelas do livro. Já vemos os ataques daqueles "dinossaurinhos" do começo do filme com seu jeito curioso, fofo e mortífero de entortar a cabeça e atacar uma menina.


2ª surpresa - logo de cara começa a aparecer comparações entre dinossauros e as aves, principalmente com as galinhas, "são semelhantes a pássaros" (página 58). O quê?! Era uma coisa que não esperava do livro. Por quê? Já vi gente criticando o filme no quesito científico, dizendo que os dinossauros teriam na verdade penas pelo corpo, que as aves seriam parentas deles, essas coisas. Aí pensei que jamais iria ter nenhuma linha falando disso. Surpresa! 

"Dinossauros haviam morrido no período Cretáceo, 65 milhões de anos atrás. Tinham florescido como espécie de vida dominante no planeta no Jurássico, há 190 milhões de anos. E surgiram no Triássico, aproximadamente 220 milhões de anos atrás." 

Página 71

Tem uma teoria (posso chamar de teoria?) de que é possível "desevoluir" uma galinha, já que enquanto embrião elas possuem caudas e dentes, acordando assim os dinossauros de seu DNA. Ah, não tô falando sobre o livro aqui, isso seria na realidade mesmo =D (Revista Galileu).

Continuando, "nenhum lagarto com três dedos esteve neste planeta por duzentos milhões de anos" (página 70), novamente, as galinhas com seus pés escamosos e com três dedos. Da próxima vez que for comer frango pense que talvez aquilo já esteve no topo da cadeia alimentar... parece que o jogo virou, não é mesmo? 




Página 200 - Bem vindos ao Jurassic Park

Pelo visto ninguém foi pra ilha a passeio. Até as crianças que o avô (dono do parque) convida possuem um motivo pra estarem ali...

Subimos no nosso Land Cruiser elétrico e automático da Toyota '-' pra dá uma volta pelas dependências do parque ainda não terminado, algo do tipo: "se olharem para direita verão nosso restaurante três estrelas que ainda não foi construído, mas que já tem estrelas".

Mas a atração principal tá pronta: o "safári" pra ver alguns animais pelas trilhas, as 15 espécies, os 200 e poucos dinossauros. E... Ó o bicho vindo! Finalmente, T-rex apareceu. Ela (sim, supostamente todos os animais gerados no parque são fêmeas) ainda tá muito bem tranquila e calma saindo desconfiada da floresta pro show pra devorar uma cabra. "Privacidade, humanos, por favor." Aí ela volta pro meio das árvores Ownt... ela é tímida s2


Página 302 - "Não é a mamãe!"

Uma tempestade. Um problema elétrico. O parque no escuro. É mais ou menos a metade do livro, e o que posso dizer sobre os acontecimentos é: mas, já!



Página 402 - Atira! Atira no sauro ;)

A primeira coisa que tenho pra falar é sobre perspectiva. Como assim? Sobre como um Tiranossauro Rex vê um ser humano: "Me dói falar isso - disse Malcolm -, mas senti honestamente que eu não tinha sua atenção exclusiva. Ele tinha a minha, é claro. Também, ele pesa oito toneladas. Eu não." (Pág. 315) Somos uma bolinha de bosta perto de um T-rex. Pois é...

Alguém poderia explicar um negócio que vi na página 364: "...haviam ido para a margem oposta, onde gritaram a se espalharam..."? Oi? Isso tá certo? Não sei...

Uma última palavra: Velociraptors.


Página 500 e um restante - "A escuridão se aproxima"

Tá, ok. Tava pensando em falar só da edição aqui pra não encompridar mais. Não vai dar. Foi mal. Sendo rápido sobre a edição: é incrível, as bordas das folhas são vermelhas, há uma arte em preto e braco muito legal no miolo do livro, não tem orelha (pelo menos a minha edição), e a diagramação (é diagramação o nome certo?) é diferente quando aparece uma placa ou uma tela de computador. Não preciso nem falar da capa...

Agora, vou precisar falar sobre três pontos:

1. O que mais me incomodou no livro foram as situações de perigo sem consequências. Você é atacado e sai sem ganhar ou perder nada. Achei isso muito estranho, às vezes desnecessário. Um bônus nesse primeiro ponto: encontrei outra frase estranha: "Elas virava os botões e dials" (pág. 434), então tá, né? 

2. Realmente há uma dualidade no livro. Homem vs Dinossauros. Ciência vs Natureza. Não precisa nem ir muito longe é só pensar que é uma ficção científica no meio da selva. 

3. Ainda não sei se concordo com o posfácio do Marcelo Hessel (Ometele TV) sobre a "castração da mulher" no livro... Achei a Dra. Ellie Sattler uma personagem forte, mesmo ela não aparecendo muito. Vou ter que pensar sobre isso... talvez reler o livro.

Cena do filme do Steven Spielberg
"Os dinossauros comem o Homem. E a Mulher herda a Terra."

Conclusão: nostalgia é a palavra que define o livro, e carnificina também, tem bem mais que no filme (intestinos!).  

E isso é tudo, ou não. 'Té mais.




Ficha Técnica 



Título: Jurassic Park 

Autor: Michael Crichton

Editora: Aleph

Tradutor: Marcia Men

Páginas: 525


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...