sábado, 12 de março de 2016

Eita mulher, eu sou virgem!


Só coisa boa hoje. Sangue, morte, osso, estupro, virgens e um rango legal (é o que procuramos..). Preparados? Quem tá com fome, aí?

Se você não conhece a lenda do Cabeça de Cuia, aqui vai:

Ingredientes:
Pegue um cara pobre e pescador (até porque nunca vi um pescador rico, ainda);
3 xícaras e meia de fracasso extra forte no trabalho;
Adicione uma mãe também pobre (é muito importante isso) do tipo dedicada, muito dedicada;
Um bocado de fome;
1 osso;
Uma pitada de ódio;
E Sol a gosto.

Bata tudo, e é só colocar no congelador e está pronto o sorveti... ops, receita errada... tá pronto um assassinato ; )


Pra terminar... a segunda parte da nossa receita:

Despeje essa história de um filho pescador que não conseguia levar comida pra casa, e que matou a mãe por isso em um recipiente untado com ressentimento materno colhido nos momentos finais de vida, acrescente com cuidado uma maldição, dê umas leves batidinhas para melhor comportar e ter certeza de que a maldição pegou, recheie com sete virgens recém recolhidas, coloque em banho-maria por mais ou menos 200 anos, e está pronta uma lenda.

O que nós podemos aprender hoje, além de uma receita super fácil e versátil? Bom, pra começar, temos dois pontos, o assassinato e a maldição, pra conversar.


- Por que ele matou a mãe, se era ele quem deveria trazer comida pra casa?

Talvez o problema fosse mesmo a frustração com o trabalho, e em um acesso de raiva descontou em sua mãe, porque tendemos a agredir, não necessariamente matar, as pessoas mais próximas a nós nos momentos mais difíceis. Porque humanos precisam aliviar a cobrança sob si mesmos para viver com o minimo de sanidade mental, nem que seja jogando a culpa nos outros; mas, no caso... Bom, ele exagerou bastante!

- Vamos compensar um crime, praticando outros \o/

Analisando essa cadeia hereditária a maldição que a mãe jogou antes de morrer para que ele se transformasse em um monstro, e que só voltaria à forma original quando batesse meia noite "devorasse" sete virgens (com o nome Maria). Podemos notar que a transformação foi apenas exterior, já havia esse monstro dentro dele, as palavras da mãe só trouxeram pra fora o que ele tentava esconder.

Arte do jogo The Last NightMary

A lenda tem algumas versões (como quase toda lenda), em uma a maldição o obriga a matar sete mulheres para pagar pelo que ele fez, em outra o monstro precisa devorar a pessoa, comer a carne mesmo, e por fim temos a versão que ele é um estuprador em série.

Quaisquer das "soluções" acima são muito aceitáveis se você é adepto da filosofia de que se cobrir um erro com outro se tem um acerto =D
Tanto que temos uma estátua em homenagem a esse cara aqui em Teresina, lá no encontro das águas. <3




E aqui terminamos mais uma discussão sobre mitologia, mais especificamente sobre folclore brasileiro, sendo mais específico: de uma lenda piauiense, mais específico ainda: das margens do Rio Parnaíba. Até a próxima.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...