quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Mitologia - Herr Mannelig


"Ao amanhecer, antes que o Sol surgisse
E os pássaros catassem sua doce canção
A Troll, com a língua falsa,
Enganosamente propôs ao cavaleiro:
Herr Mannelig, Herr Mannelig, comigo você quer se casar
Por tudo que graciosamente te darei?
Se quiser, responde só sim ou não.
Você fará isso ou não?"


Herr Mannelig é uma balada medieval sueca sobre uma Troll das montanhas que propõe em casamento um cavaleiro que ia passando (te vi, já te quis), pra ser bem convincente ela oferece alguns presentes, diz que vai dar a ele os melhores cavalos, que nunca haviam sido montados, além de uma blusa da mais branca seda, uma espada dourada, como tava tendo promoção ela ofereceu ainda doze moinhos cobertos de cobre e prata pra fechar o pacote.



E o que o senhor Mannelig fez? Negou fogo... não, pera... na verdade ele só se negou a se casar com a Troll, não sei se ele fez algo mais com ela, sendo assim, acho melhor dizer que ele só recusou a oferta de casamento. Ok, então... Vamos pra parte boa do texto \o/ Lembrando que nesses textos sobre mitologia nós tentamos tirar algo ainda útil hoje em dia, algo que sirva de debate e tudo mais; nesse sobre a Troll da Montanha, eu poderia falar sobre a cotação comercial do amor (algo me diz que cotação comercial é um pleonasmo, não sei bem, mas vou deixar assim mesmo), poderia, não vou falar sobre isso. 

Vou falar sobre intolerância religiosa. O quê? Acho que esqueci de colocar o que Mannelig disse pra ela: Se tu fosses uma mulher cristã, então, eu contente receberia seus presentes, mas sei que você é o pior demônio, filha de espíritos malignos.

Por tudo que te darei?

Agora podemos continuar; tendo como ponto de partida que Herr Mannelig é um lenda/música da Idade Média, quando a Igreja Católica tava a pleno vapor, poderosa rainha do funk em boa parte da Europa; dá pra ver com outros olhos pra essa história da Troll da Montanha, se torna algo quase doutrinário, algo pra converter as pessoas, atacar outras religiões demonizando-as, as tornando uma coisa do mal, impura, enganadora etc.

Como se os adeptos ao catolicismo no início não tivessem pegado alguns aspectos (valores) de outras religiões, principalmente do paganismo, para socializar com a galera. E o que essas receberam por tudo que deram? Intolerância na cara. Pois é, né? Essa ideia de que quem não é cristão é do tinhoso é uma ideia lotada de amor e compreensão. 

Não podemos nos esquecer de dizer que a Igreja Católica não atacou só religiões ditas pagãs, judeus também foram atacados nesse período (por quê? Como sempre jamais tô certo do que escrevo aqui, isso se deu porque judeus não acreditam que Jesus é filho de Deus, isso tá certo produção?), acho que poderíamos acrescentar muçulmanos à lista também, por causa das cruzadas, se bem que nesse caso a confusão se deu mais foi por causa de terras, né?   

Balada Medieval 

Pesquisando vi que várias bandas fizeram uma versão dessa balada medieval, e em várias línguas, tem em sueco (claro), alemão, italiano, como a versão do Haggard (um grupo alemão tocando uma música em italiano de uma lenda sueca, que complexo):



Se gostou de nossos textos sobre mitologia, dá uma olha em alguns outros:

Tá vadia ainda Medusa?
Três por um: Cérbero

E espalha se possível \o/


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...