terça-feira, 25 de agosto de 2015

Three, Two, One... Interstellar


Wow! Finalmente assisti, depois de muita gente me encher o saco... mas valeu, o filme é realmente fantástico. Me lembrou bastante 2001: Uma Odisseia no Espaço (claro) e a ideia de pós-apocalipse me lembrou um pouco do livro Androides Sonham com Ovelhas Elétricas (Philip K. Dick) (clique aqui pra ir até a resenha). E sim, enquanto escrevo esse texto estou ouvindo a trilha sonora  do filme sou desses.



Um resumo resumido: a vida humana na Terra tá com seus dias contados, as plantações vão se acabando com uma praga, tempestades de poeira acabam com a saúde das pessoas. Aconteceu algo e estamos em um pós-apocalipse \o/ Qual a solução? Partiu outro planeta.


“Costumávamos olhar para o céu e imaginar o nosso lugar entre as estrelas. Agora apenas olhamos para baixo e nos preocupamos com o nosso lugar na poeira.”
.

A tripulação de 4 humanos e 2 robôs (com 100% de humor e 90% de sinceridade porque 100% disto não é recomendável pra lidar com seres humanos, '-' ) tem três planetas pra analisar se é possível viver em algum, mesmo eles estando em um sistema com um buraco negro e sérios problemas com tempo. Essa é a missão: encontrar um novo lar antes que todos na Terra morram (mas essa segunda parte é apenas opcional =D).

Antes de continuar... queria só dizer que ainda 'stou meio bugado com esses robôs:





Ok, voltando... A coisa que mais grita em Interstellar é o Tempo, que é algo muito presente/importante no filme (principalmente com o tic-tac da trilha sonora), nossa! quando eles vão pra um planeta onde uma hora equivale a SETE anos na Terra, aí vemos que o bagulho é louco e não é gostoso, o quão angustiante é ver o tempo passar, ou não ver...? Ok, parei, não posso falar muito mais.

Uma das coisas mais fodas de Interstellar é a trilha sonora do Hans ZimmerSó pra começar ele compôs umas músicas com um órgão (de igreja).

E não sei se vocês vão concordar, mas achei incrível esse contraste entre um filme no futuro, com naves espaciais e tudo o mais, e de fundo tocando um órgão (de igreja) algo que parece ser tão antiquado,  parabéns, eu não tava esperando por essa. 

Deixa eu citar algumas outras trilhas do Hans Zimmer (que talvez você já tenha escutado e não sabia): Piratas do Caribe, 12 anos de escravidão (que já fizemos um texto, aqui), além da trilha da trilogia do Batman do Nolan e também do Inception. E claro Interstellar:


Como eu acho que esqueci de pôr algumas informações sobre o filme mesmo lá atrás, então vão aqui: o filme foi dirigido pelo Christopher Nolan (Batman - Cavaleiro das Trevas; Inception); Tem o cara do Contato no elenco (Matthew McConaughey), a Anne Hathaway (que eu não sabia que tava no filme), o Alfred (Michael Caine)... 



Fiquei esperando o Batman aparecer no meio dessa "loucura" toda de relatividade do tempo, acho que até escutei um "here we go" do Coringa, mas o que apareceu mesmo foi o Pião da Casa Própria:


Docking! Uma das melhores cenas de Interstellar, quando a nave tá tentando acoplar na outra girando sem controle. Pronto me calei... Acho que isso é tudo que consigo falar sem spoilers, então fiquem com o trailer:




Zona de Spoiler - Não poderia sair sem falar algo que achei bem estranho no filme, vou me arriscar até em dizer que foi desnecessário: o personagem principal (Cooper - Matthew McConaughey), encontra uma base secreta da NASA porque algo deixou as coordenadas para ele (até aqui já vamos mal, parece que ele é O escolhido, O único cara que vai salvar tudo), mas o filme vai passando você se esquece desse negócio, até que no final numa tentativa de explodir sua mente é mostrado que quem enviou as coordenadas lá no começo tinha sido ele mesmo lol Agora pergunto como fica o paradoxo de ele ter ido pra missão e conseguido enviar uma mensagem pro passado se ele só foi pro espaço porque algo deu as coordenadas. Sério, como fica a primeira vez? Se não tinha ninguém pra enviar nada, porque ele ainda não tinha ido, e só foi porque ele mesmo mandou pra si... Ok, ficou confuso, sei disso... Queria só avisar vocês sobre isso que me incomodou um pouco no filme, mas só caberia em uma zona de spoiler, então foi mal se não consegui avisar a tempo. Achava mais simples se já que o Cooper era meio que um piloto antes do "apocalipse",se tivessem colocado na NASA um quadro com uns nomes dos melhores pilotos riscados e então: "E agora qual o próximo? É esse tal de Cooper, certo?" Pois é... Ainda bem que não achei que fosse algo que estragasse o filme.    


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...