terça-feira, 2 de junho de 2015

Literatura piauiense: isto non ecziste?

“E quando se fala em literatura piauiense, veja bem: piauiense em quê? Quais são as características piauienses dessa obra que a distingue da literatura, vamos supor, do Ceará ou da literatura do Maranhão? Será que nós temos aqui escritores que só poderiam ter nascido aqui no Piauí?”

O. G. Rego de Carvalho, 1982*

Aproveitar que tá perto o Salão do Livro deste ano (começa no dia 05 de junho), vim falar um pouco mais sobre literatura piauiense. Teria sido melhor ter escrito este texto antes, e o usado para iniciar nossas discussões sobre o tema, mas, malfeito feito; deixo o link pro texto anterior   (clique aqui).

Como já devem ter percebido, pelo título da postagem e pela citação inicial, hoje, vim perguntar se existe realmente na literatura algo que podemos chamar de nosso.  

Antes de qualquer coisa, mas já estamos quase no meio do texto, queria só deixar claro que se você é dos: “Literatura no Piauí não fala só de roça? Num é só regionalismo, pé-rachado, gado, mato? Aquelas coisa tudo sem graça?” Queria dizer que você está redondamente certa Cláudia.



Segura essa ideia aí, porque quando/se tivermos tempo vamos resenhar uns livros, pra exemplificar e deixar mais claro que literatura piauiense não é só isso. Melhor voltar ao tópico deste texto aqui, né?


O que é literatura de um lugar: um conjunto de obras feitas por pessoas nascidas lá? De autores preocupados com aquela região e suas pessoas? Isso é uma coisa complicada; a arte não é um negócio lá muito fácil de segurar, ela atravessa facilmente as fronteiras territoriais criadas pelo homem, vêm influências de todas as espécies, e saem também.

No entanto... tenho a impressão de que as coisas estão melhorando; já temos livros que se utilizam bastante de aspectos culturais do Piiiiiiauí: é culinária, folclore, fatos históricos (a Batalha do Jenipapo, por exemplo) etc.; acho que a literatura piauiense ainda não tá tão forte (valorizada) assim, pra sair gritando na rua: é nossa porr... mas, pelo menos já é alguma coisa para começar.

Antes do último ponto final, vale lembrar que na próxima semana... próxima? É próxima mesmo? Não! ...lembrar que nesta semana começa o Salipi, na sexta, que vai do dia 05 a 14 de junho de 2015. 


http://www.salipi.com.br/edicao2015/


*O. G. Rego de Carvalho – Fortuna Crítica; organização e apresentação: Kenard Kruel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...