sábado, 7 de março de 2015

Sobre 50 tons de cinza, o filme.



Ainda na vibe de 50 tons, eis que trago aos queridos leitores do Parágrafos minha resenha sobre o filme \o/ Estou aberta a críticas (construtivas, por favor!) e opiniões. Enjoy, babys <3

Dizem que a primeira impressão é a que (geralmente) costuma ficar. Assistindo a 50 tons de cinza pela segunda vez posso dizer que isso, nesse caso ao menos, é verdade. Minha primeira impressão fora um tanto quanto positiva. Eu realmente adorei a escolha dos cenários, figurinos, trilha sonora (absolutamente incrível) e a escalação dos atores. Porém, dessa vez me ative mais aos detalhes: olhares, gestos e estes engrandeceram a construção física e emocional dos personagens, fazendo com que minha primeira impressão permanecesse.

Jamie trabalha muito bem no quesito olhares: ora misteriosos, ora cautelosos, ora surpresos, ora inquisidores, ora curiosos, ora perturbados. Mas senti falta de gestos mais leves e soltos de sua parte. Eu o percebi um tanto mecânico. Não sei se isso fez parte da construção de seu personagem com a equipe de produção, entretanto, não ofusca sua entrega ao lado controlador, perturbado e autoritário de Christian. Ele nos mostrou o empresário bilionário que “não faz amor” e que tampouco dorme com alguém (Aham Cláudia, senta lá).

PS: o meu super parabéns aos responsáveis pela maquiagem do filme: as cicatrizes no peito de Christian foram muito bem feitas.

Dakota foi maravilhosamente Anastasia. Do começo ao fim. Ela conseguiu combinar bem gestos e olhares e o resultado foi exatamente igual à descrição feita por E.L.James. Dakota deixou transparecer a vontade, o desejo, o humor, a insegurança e fragilidade de Ana. Brilhante e de longe, a melhor atuação do filme.

Quantos às demais interpretações: amei o sorriso inquisidor de Kate e seu jeito Kavanagh de ser. Senti falta de maior participação dela no filme, como o discurso que, em minha opinião, deveria ter sido inserido na cena da formatura. Grace é doce, atenciosa e carinhosa como imaginei. Senti falta também do Taylor, mas consegui enxergá-lo no ator escolhido. Enfim, não irei discorrer sobre os demais, visto que 99% do filme é apenas Ana e Christian.

Os cenários e figurinos: impecáveis. E a trilha sonora não poderia ser melhor. Se encaixa perfeitamente no relacionamento intenso, e ao mesmo tempo delicado, de nossos queridos protagonistas.

Sou completamente leiga no que diz respeito à arte cinematográfica então se eu estiver utilizando um termo equivocado, por favor, releve. A edição das cenas me deixou bastante chateada. Tudo foi muito rápido, dando um ar de superficialidade à trama. Várias cenas apresentaram um aspecto meio “cru”, devido a sua rapidez - a primeira vez de Ana, por exemplo. Compreendo que literatura e cinema são artes distintas e ao se transpor uma obra para as telas é, de fato, impossível deixar à vista todos os detalhes, ainda que alguns dos mais importantes. De qualquer forma, para os fãs da história, vale a pena assistir e ouso dizer que, de fato, o filme não fora produzido para o público em geral e sim para nós, fãs, ou para quem se deu ao trabalho de ler o livro antes de pagar o ingresso, visto que muitas “situações” passam despercebidas àqueles que foram com a cara e a coragem.

Citarei agora minhas cenas favoritas, onde enxerguei com perfeição as palavras descritas por James: a do planador (a mais espontânea e linda, o que eram aqueles sorrisos heim? E o aspecto de garoto do Grey? <3) e a que Christian “surra” Ana com um cinto. Seu olhar indo do prazer à perturbação me provou que Jamie, especialmente naquele momento, capturara a essência do personagem e Dakota nos faz ficar tão apreensivos e assustados quanto Ana.


Anseio por ter o DVD em mãos porque aquele final te deixa com uma angústia e com um baita gostinho de quero mais e já que “Cinquenta Tons mais Escuros” nos fará esperar uns bons meses, não custa nada reviver a emoção de perder o controle com o Sr Grey, ao lado de Anastasia. 

Deixarei abaixo alguns links para aqueles que venham a se interessar em assistir ou re-assistir ao filme e para os curiosos sobre que trilha sonora tão linda é essa:

http://megafilmeshd.net/cinquenta-tons-de-cinza/ - O MegaFilmes oferece três players para se ver ao filme e se não me engano escolhi o segundo, mas algumas cenas foram meio que "cortadas" sabe? Isso me deixou bolada, mas enfim, talvez em outro player não aconteça isso. O áudio/legenda/qualidade da imagem estavam bons.

No site da Editora Intrínseca nós temos um outro "site" dedicado à trilogia e lá foram disponibilizadas as músicas que embalam a história de Ana e Christian: http://cinquentatonsdecinza.com.br/trilha-sonora.html Dá para ouvir online e tem um ícone do YouTube onde as músicas também estão disponibilizadas. Minhas favoritas: Cover de Crazy in Love, por Sofia Karlberg e Love Me Like You Do, da linda Ellie Goulding. 

Ficha Técnica:

Título: Fifty Shades of Grey (Original)
Direção: Sam Taylor-Johnson

Elenco: Dakota Johnson, Jamie Dornan, Eloise Mumford, Victor Rasuk...
Duração: 125 minutos
Classificação: 16 
Gênero: Drama/Romance
País de Origem: EUA

.C.Schreave. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...