quinta-feira, 5 de março de 2015

Resenha: 50 Tons de Cinza



Considerações iniciais 

Bem meus queridos leitores, venho aqui grifar um ponto importante na vida de muitos e ouso dizer todos os leitores, que é o preconceito literário que temos com alguns gêneros ou com alguns livros em especifico, esse é um problema muito sério, porque vamos fechando nossas mentes sem saber e com isso perdemos coisas bem mais importantes do que o colágeno de nossa pele, perdemos a capacidade de ver o mundo de formas diferentes e a chance de conhecer novas historias, e ainda ficamos a mercê do cardume social, no qual é proibido ter opinião própria, e o pior ficamos curiosos. Mas como diria o guia do mochileiro das galáxias: “Não entre em pânico!” porque o Parágrafos esta aqui para te ajudar a quebrar seus tabus sobre 50 tons de cinza.

Li o que um querido mestre escreveu em um muro em uma rede social chamada “livro de rostos” (não gosto de estrangeirismos... kkk) quando se fala em 50 tons de cinza, as pessoas já vão procurando as pedras para atirar nas Madalenas da vida que assumem gostar da trilogia, pois é gente; eu reparei que a divisão de opiniões vai bem além dos que gostam ou não do livro, tem os que leram, gostaram e não assumem (por medo...da inquisição??) os que leram gostaram e assumem (os fãs), tem ainda os que leram e não gostaram de forma alguma e ainda tem os que não leram e só repetem o que os leitores que não curtiram disseram em suas criticas, mas quando se perguntam a eles os motivos de não curtirem eles não sabem o que dizer, e tem ainda os meus preferidos que são aqueles que não leram e por isso não opinam, enfim... eu poderia escrever mais sobre isso mais estaria desperdiçando nosso preciosos tempo.

O que a maioria das pessoas não sabem, ou esqueceram, é que ROMANCES eróticos já foram escritos bem antes na historia, lembrando que os humanos só reciclam ideias que outros já tiveram antes e acrescentam umas flores e dizem ser sua ideia, acho que aprendemos com o império romano... (piada de historiador) então como eu estava dizendo... outros autores na antiguidade escreveram sobre sexo, mas falaremos sobre os romances eróticos clássicos mais à frente, por agora vamos falar do polemico 50 tons de cinza.




Sinopse do livro:

Aquela historia que todos já ouviram falar, e que com o filme ficou ainda mais famosa. Uma garota simples Anastácia Steele (não posso, de forma alguma, dizer que a Ana é normal) vai entrevistar um cara muito, muito rico chamado Christian Grey, que se interessa por ela e acaba lhe propondo um contrato para que ela seja sua submissa, ou seja, ela teria relações sexuais peculiares com ele, que envolveriam um tipo de sadomasoquismo, para deixar claro, a historia vai fazer menção, a açoites, mordaças, vibradores, em geral, o que conhecemos como castigos físicos e masturbação, além claro do sexo em si. Ate ai todos conhecem a historia, certo? Pois bem...



O que eu vi na historia:

Comecei a ler o livro por simples curiosidade, queria saber o motivo de tanto burburinho em cima de um livro pelo qual que tinha um preconceito profundo. Sim, por ser uma fã fiction de crepúsculo, mas não por falar de sexo, então fui matar minha curiosidade, e ai aconteceu... eu amei a historia, eu amo a Ana, Amo o Christian e todos os personagens secundários. E sim haters eu sei que o livro não é bem escrito e que isso desfavorece muito mesmo uma historia boa, vocês já podem procurar outro argumento.

Ana não é normal, ela é uma personagem muito insegura e sempre acha que o Christian é muito para ela, mas ela também é muito inteligente e bate de frente com o Grey muitas vezes, a deusa interior e o subconsciente dela são os melhores e além de atuar como a sua emoção e sua razão respectivamente, também dão o tom de humor à personagem. Ouvi alguns comentários a respeito do controle excessivo de Christian, mas a Ana também não fica atrás dele nem por um instante, a diferença é que ele usa do seu dinheiro e influencia para controlar a vida dela, mas ela não tem nenhum dos dois por isso não aprendeu a usar, mas se tivesse seria o mesmo para ela; nesse caso ela usa um pouco de infantilidade para lidar com seu ciúme, coisas do tipo “Ou ela ou eu”.

O contrato, assim como qualquer outro, é feito a partir da concessão e concordância de ambas as partes; o contrato impõe sim a maneira que a submissa deve se portar e ate quantas vezes deve comer ao dia, mas deixando claro que essas regras são para proteção e segurança física da mesma e são negociáveis entre as parte acordantes; Ana não foi em momento algum obrigada, coagida, ameaçada e/ou chantageada para que assinasse aquele papel, ela estava lá pelo sexo, por ela queria o Christian tanto quanto ele a queria, e em um momento posterior ela permaneceu lá por amor, lembrando aos caros leitores que ainda estamos falando de um romance erótico, e sim com passar de paginas o contrato vai sendo esquecido pelos nossos fogosos protagonistas. É importante lembrar também que é um romance e que a ideia do sadomasoquismo é uma proposta inicial da autora, que depois torna a estória doce como mel.

A estória é 80% focada no casal principal, e isso é um pouco cansativo, mas temos os secundários, como a melhor amiga da Ana, Kate, que é muito divertida. Mas também exerce uma função meio maternal na vida da protagonista, temos os amigos com segundas intenções da Ana, como José, Ethan, entre outros; temos também umas antagonistas muito boas como a Elena e a Leila, a primeira de caráter muito ambíguo, e não se consegue entende –la de cara, a segunda ficou meio transtornada depois do Christian, enfim... Apesar de não ser muito trabalhado o elenco secundário da historia tem potencial.

É verdade que a James não é a melhor autora do mundo, mas o Sr. Grey foi seu trunfo, sua carta na manga, ouso dizer que foi o personagem mais bem trabalhado na historia, ele na verdade é como a historia em si, so se conhece todos os seus trejeitos e manias encantadores e/ou assustadores, lendo a historia inteira e entendendo como ela funciona; Christian Grey é sim um perseguidor, controlador e muito, mas muito ciumento mesmo, e essas características se encaixam perfeitamente na personalidade contorcida da Ana, mas ele também é a projeção de tudo o que a autora sonhou em ter em um homem, ele é dedicado, amoroso, gentil e pode surpreender com seu lado fofo e ate infantil (ás vezes), acho que essa personagem é daquele tipo que assusta e tira as expectativas logo de cara, para só depois mostrar o lado bom; acho que a expressão é “Morde e assopra”, mas o mais assustador é que existe uma dependência mutua entre o casal, e isso é um tanto preocupante, mas ai já não é com a gente. 

Autora:

O nome dessa criatura obscura é Erika Leonard James, e sim ela veio do mesmo lugar que a Austen, pode não parecer mas ela é uma adulta de 51 anos de idade, atualmente, e tem dois filhos. Segundo ela mesma em seu site (precisa ser maior de 17 anos para ler que ela vive em West London... kkkkk) ela foi uma executiva de TV e disse que a vida dela mudou depois de realizar seu sonho de escrever romances.

Percebi lendo seus livros que ela ainda tem muito o que amadurecer como autora, mas a historia é muito boa e pode ser um bom tema de estudos psiquiátricos ou psicológicos, caso alguém resolva abrir a mente e faze lo. Existem também boas referencias a autores, musicas, cantores e compositores na escrita dela, é perceptível que a base dela é boa e que o livro só precisava ser melhor escrito e melhor traduzido.




Considerações finais:

É possível que o esse livro seja alvo de tantas criticas por falar de sexo e de sadomasoquismo, e assim reabrir um caminho literário que já haviam fechado e dito para os primeiro que andaram nesse caminho, para fingir que não sabiam de nada e que esse tipo de literatura é errada e não pode ser difundida, mas literatura na linha erótica sempre existiu e todos se interessam pelo assunto, e nos tempos mais antigos, nossos antepassados eram um pouco mais, como dizer? Ousados. Falavam do sexo como um ritual entre duas pessoas que se amam e que elevava o espirito, como no antigo texto indiano do Kama sutra, mas também falavam de orgias e as descreviam em detalhes, para os leitores que se interessam pelo assunto, logo a frente sugerimos uma lista de contos e romances eróticos; então meus caros leitores e amigos não se reprimam e leiam romances eróticos, faz bem e é sempre bom aprender coisas novas, e se o problema é a escrita da James, sempre tem outras opções. Bom para terminar esperamos que tenham captado a mensagem principal e o motivo dessa resenha: “Quebrem seu tabus” e abram suas mentes 




Lista de contos e romances eróticos sugeridos:

Decameron – Giovanni Boccaccio, 1350, L&PM Editores;

Fanny Hill ou Memórias de uma Mulher de Prazer, 1748 – John Cleeland, L&PM Editores;

120 Dias de Sodoma, 1785 – Marquês de Sade, Iluminuras;

A Casa dos Budas Ditosos, 1999 – João Ubaldo Ribeiro, Objetiva;

Kama Sutra, séc. III – Vatsyayana, Zahar.

Fontes:

http://delas.ig.com.br/amoresexo/2013-12-13/20-classicos-da-literatura-erotica.html

http://www.eljamesauthor.com/about-me/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...